LINHA DE VOTAÇÕES Contos Eróticos Categoria HÉTERO ENTRA, LÊ, FAPEATE E VOTAÇÃO! 1

LINHA DE VOTAÇÕES Contos Eróticos Categoria HÉTERO ENTRA, LÊ, FAPEATE E VOTAÇÃO!

Voltava do serviço, eram cerca de quatrorze horas e no momento em que fechei a porta da minha casa me desfaleça ali mesmo, na minha sala. Acordei e olha pro relógio, levava 2 horas inconsciente no chão. Me acesse no espelho do banheiro e pude perceber que estava pálido como um cadáver.

eu Bebi um pouco de água, me arrumei na cama e chame um médico. Sono a campainha, levantei da cama e acesse pelo olho mágico. Era uma mulher, com uma cabeleira ruiva de cabelos lisos até os ombros, olhos azuis, pele branca e com várias pequenas sardas nas maçãs do rosto. Ia com roupa normal, usava uma saia preta , uma camisa branca, que lhe marcavam os mamilos visto que estava sem sutiã e umas sabrinas pretas.Levava uma maleta preta com o símbolo da medicina.

foi-me posto tão dura que a borracha da calça do pijama não podes impedir que meu pau chega a tocar com o meu umbigo. Abro a porta e ela passa com um sorriso no rosto. Vamos para o meu quarto e quando me sinto, vai, eu olho e vejo como ela me acompanhar meu pau que é bem íngreme e sobressai da calça.

  • A Campanha Nacional de 1856-1857
  • Uma mãe pra Ana (1953)
  • 6 Relações mono-poli-harmoniosas
  • Jun.2009 | 22:Dezoito
  • vinte e um de abril de 2009 | 15:53
  • Parque das Cigarras

Ela faz-me um par de dúvidas médicas , eu recomendo que peça consulta com o meu médico de toda a vida e que me apresenta uma receita. Quando se despede diz-me que acesse pra trás pra receita médica. Olho pra parte traseira da receita médica, e vejo que esta escrito um endereço, data pra no tempo de quinze dias e uma hora. Chego à porta de tua moradia para a data e hora indicada, pontual, como os trens alemães.

Ela me abre a porta , agora esta nua, me pegue pela mão e me leva até seu quarto. Começo a beijá-la pelo pescoço, enquanto com uma mão lhe acaricio seu cabelo sedoso e com a outra palpo suas nádegas. Ela abre a vagina como uma serpente abre as fauces no momento em que vai engolir uma presa extenso, e agrupar o meu pau dentro de seu buraco ardente. Agarra-Se com força às barras da cama e aperta seus dentes como um animal de rapina, sempre que eu a follo durante vinte minutos.

Tenho os ovos como pedras, digo-lhe que se ponha em 4 patas no chão, obedece e deste jeito eu início a joderla. Meu coração esta colado em tuas costas, meus braços cerca de seu abdômen, estamos encharcados de suor. Ela se agarra às pernas da cama, seu rosto e seus seios estão coladas contra o chão.

Não paro de hundirle pau até as bolas, corre-se uma e de novo, arfa e sinto seus orgasmos como descargas elétricas. Eu corro pra dentro de tua vagina, ela beija meu pau gotejante e me olha desde o chão com seus precisos olhos azuis claros. Enquanto me visto, ela me explica que não costuma convidar todos os seus pacientes a tua casa e que tinha sido a melhor de sempre foda de sua vida.

Me apresenta teu número de telefone e insiste em que a chamada pra redizer e poder dominar-nos melhor. Não digo nem ao menos mais uma palavra, eu olho fixamente durante o tempo que estamos flagrou das mãos, por um estágio eu olho pro chão e mais rápido o voo para ver. Dou-lhe um beijo no canto dos lábios e fecho a porta de tua casa.